• ESTIMULANTE DIGESTIVO - 100ML

ESTIMULANTE DIGESTIVO - 100ML

  • Modelo: 50
  • Situação: Disponivel
  • R$ 30,00

1.Nunca compre medicamento sem orientação de um profissional habilitado. 

2.Imagens meramente ilustrativas. 

3.Pessoas com hipersensibilidade à substância não devem utilizar o produto. 

4.Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomenda-se descontinuar o uso e consultar o fitoterapeuta. 

5.Não use o produto com o prazo de validade vencido. 

6.Manter em temperatura ambiente (15 a 30ºC). Proteger da luz, do calor e da umidade. Nestas condições, o produto se manterá próprio para o consumo, respeitando o prazo de validade indicado na embalagem. 

7.Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças. 

8.Este produto não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação de um fitoterapeuta. 

9.Embora não existam contra-indicações relativas a faixas etárias, recomendamos a utilização do produto para pacientes de idade adulta. 

10.Siga corretamente o modo de usar. Não desaparecendo os sintomas, procure orientação do fitoterapeuta. 

11.O uso do produto durante o período de amamentação também não é recomendado. 

12."SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O TERAPEUTA DEVERÁ SER CONSULTADO".

Composição:

Tintura de QUINA TM  

Tintura de GENCIANA TM  

Tintura de ESPINHEIRA SANTA-MAYTENUS ILICIFOLIA TM  

Tintura de DAMIANA TM  

 

GENCIANA

Gentiana lutea

Descrição: Da família das gencianáceas. De caule ereto e liso, de folhas grandes e ovaladas e flores amarelo vivo, dispostas ao redor da haste semelhantes a pequenos cilindros. Sua haste é reta, alcançando cerca de um metro de altura.

É também conhecida como Gencianela, com algumas das substâncias mais amargas do planeta, a genciana é considerada pela fitoterapia um amargo "puro".

Parte utilizada: Folhas, raízes.

Habitat: Nativa das montanhas europeias. Há centenas de espécies, pelo menos 20 na Europa, e algumas na China.

História: Planta usada há séculos como tônica digestiva bitter. Os extratos são usados em culinária, cosmética e em produtos para dependentes de nicotina. Faz parte da Farmacopeia Chinesa.

Origem: Alpes europeus.

Propriedades: É muito eficaz nos problemas digestivos, combatendo os vermes do intestino. Combate quadros febris e dores de origem reumáticas.

Indicações: É muito eficaz nos problemas digestivos, combatendo os vermes do intestino. Combate quadros febris e dores de origem reumáticas.

Gotas de tintura aliviam a má digestão nos idosos e convalescentes. Estimulam a atividade do fígado e do pâncreas e a libertação de suco gástrico que leva a um apetite mais saudável.

Uso pediátrico: Quase todas as indicações para adultos.

Uso na gestação e na amamentação: Não deve ser usada durante a gestação e a lactação.

Princípios Ativos: Possui o princípio amargo mais forte conhecido até o presente. Possui também fenóis, glicosídeos e pectina.

 

Toxicologia: Desaconselhável para quem sofre de úlcera gastroduodenal. Mulheres grávidas e lactantes e pessoas que sofrem de úlcera gastroduodenal, pessoas nervosas. Dose elevada, pode causar dor de cabeça e vômito. Nas lactantes o princípio amargo pode transferir-se para o leite materno.

 

Contraindicações: Gravidez e lactação: Úlceras gastroduodenais, síndrome de Zollinger-ElIison.

 

 

Quina

 

A quina (Cinchona calisaya) é uma planta da família das Rubiáceas, sendo também popularmente conhecida por diversos nomes, dentre os quais podemos citar: quina, quina-branca, quina-de-dom-diogo, quina-de-pernambuco, quina-do-pará, quina-do-piauí, quina-quina, quineira, chichona vermelha, casca peruana e casca dos jesuítas. As árvores da planta são nativas das áreas montanhosas e tropicais das Américas Central e do Sul e chegam a medir de 15 a 30 metros. As partes utilizadas da quina são as suas folhas e as cascas da raiz, dos ramos e do tronco. Há séculos, esta planta é usada para tratar males.

 

Benefícios da quina

Composto por alcaloides, essências, princípios amargos e quinino, a quina possui propriedades febrífugas, antimaláricas, tonificante, adstringente e cicatrizante. As propriedades da planta estimulam as funções intestinais, gástricas e hepáticas.

 

Indicações

O chá de quina pode ser utilizado para tratar anemia, convalescênça, febres em geral, inflamações, além de casos de queda de cabelo, má digestão .

 

Contraindicações

O uso da quina é contraindicado para gestantes, nutrizes e crianças. Deve-se ter atenção à quantidade ingerida, pois doses elevadas podem provocar dores de cabeça, tontura, surdez e irritação gástrica.

 

ESPINHEIRA SANTA

 

Descrição: Da família das Celastráceas, também conhecida como espinho de Deus, salva-vidas e sombra de touro. Árvore perene que atinge de 2 a 3 metros de altura, de porte arbústico ou arbustivo. As folhas são inteiras e apresentam ou não espinhos dentados nas bordas. As flores são axilares. O fruto é uma cápsula de cor avermelhada, que apresenta uma semente com arilo. Reproduz-se por sementes, preferindo climas mais amenos. Ocorre espontaneamente ou por meio de cultivos. A colheita das folhas pode ser feita em qualquer época do ano.

 

Propriedades: Cicatrizante, diurética, antisséptica e analgésica.

 

Indicações: A tintura possui poder cicatrizante e analgésico. É empregado no tratamento das afecções do aparelho digestivo e para cicatrizar feridas, alivia a dor e apressa a cicatrização das úlceras estomacais e do duodeno. Atua aliviando a acidez do estômago e os gases intestinais.

 

Princípios Ativos: taninos , ácidos tânicos, terpeno, flavóides, mucilagens, açúcares livres e sais minerais, enxofre, sódio e cálcio.

 

EFEITOS TERAPÊUTICOS DA DAMIANA

 

A damiana é famosa como tônico que melhora a vitalidade e levanta a moral e diz-se que tem qualidades afrodisíacas que estimulam a libido nos homens e nas mulheres.

 

Descrição : Planta da família das Turneraceae, também conhecida como chanana (ceará), turnera-de-folha-olmo, albina, erva-damiana.

 

Arbusto pubescente e muito ramoso, até 2 m de altura (em geral menos da metade); ramos delicados e difusos; folhas pecioladas, mais ou menos oval-rômbeas, espatuladas ou oblongolanceoladas, obtusas ou agudas, quase sempre cuneadas na base, de 1-2 cm de comprimento, crenado serradas ou duplo denteadas, revolutas nas margens, profundamente imerso nervadas e pubescentes ou glabras na página superior e tomentoso pubescentes ou apenas pilosas, na página inferior; pedúnculos muito curtos; pétalas espatuladas, estames curtíssimos; o fruto é uma cápsula subglobosa de 4-5mm (ou muito menos).

 

Aromática e de sabor agradável, encerra óleo essencial amargo e adstringente, como o sabor da cânfora, ao qual se atribuem numerosas virtudes medicinais: tônicas, estimulantes, afrodisíacas, anti-diarréicas, diuréticas, espectorantes, laxativas, úteis contra todas as afecções dos rins, da bexiga e da medula espinal, doenças sifilíticas, úlceras do estômago e dos intestinos, dispepsia, paralisia, leucorreia, diabetes, malária, etc., a planta toda serve no México para aromatizar licores e para substituir o chá-da-índia; nos Estados Unidos acha-se incluída na farmacopeia oficial e vende-se em extraio fluido de "Turnerae afrodisiacae"; já teve grande época na Europa, sobretudo como tônico nervoso na amaurose, tônico do sistema gênito urinário e tônico geral na neurastenia e na impotência; muito conveniente nas convalescenças demoradas deu também excelente resultado no combate à albuminúria nefrítica, albuminúria cardíaca e albuminúria consecutiva às escarlatinas.

 

É encontrada desde o Amazonas até São Paulo. Uma outra espécie, a Turnera opijera, M. é arbusto pequeno, até l m de altura, folhas pecioladas, oblongas, até 6cm de comprimento e 25mm de largura, crenadas, pubescentes, flores fasciculadas, amarelas, dispostas em panículas terminais, ovário de 40-50 óvulos; o fruto é uma cápsula.

 

Atribulem-se-lhe as mesmas propriedades medicinais reconhecidas à espécie anterior, principalmente a ação tônica especial e imediata sobre os órgãos gênito urinários; antigamente o seu maior emprego consistia em combate as dispepsias e os embaraços do ventre. É encontrada em grande escala em Minas Gerais e em São Paulo.

 

Parte utilizada: Folha; raiz.

 

Damiana

 

Princípios Ativos: Ácido tânico, cafeína, damianina, óleo essencial, pepsina, princípios amargos, resina, tanino.

Propriedades medicinais: Adstringente, albuminúrica, antidispepsia, balsâmica, emenagoga, emoliente, estimulante dos órgãos sexuais, estomáquico, expectorante, purgativa, tônica, tônico geral, tônico nervoso.

Indicações: Albuminúria, bronquite, diabete, digestão, disenteria, dismenorreia (dor menstrual), dispepsia, dor de dente, dor em geral, dor nas costas, febre, gripe, hemorragia, incontinência urinária, leucorreia, lumbago (dor na região lombar), má digestão, metrorragia (sangramento do útero), puerpério (período pós-parto), reumatismo, tônico, tórax, vertigem, vesícula.

Farmacologia : Esgotamento nervoso, depressão ligeira, tomada regularmente, ajuda a melhorar o humor e a resistência mental. É preferível tomá-la com ervas como o solidéu-da-virgínia (Scutellaria lateriflora) ou o hipericão (Hypericum paforatuni).

 

Contraindicações/cuidados: Gravidez, lactação e hipoglicemia.

Efeitos colaterais: Em doses elevadas e purgativa drástica. Há um relato de um individuo que apresentou convulsões tetânicas e paroxismos após ingerir álcool e cerca de 22g de extrato seco de Damiana (Spencer & Seigler, 1981).



 

Especificações Gerais
Conteúdo Frasco de 100ML
Modo de Usar Para resolver problemas digestivos deverá tomar 40 gotas diluído em água três vezes por dia por um período de mais ou menos 40 dias , sendo que deverá adquirir 02 frascod do produto para fazer o tratamento completo. Não desaparecendo os sintomas o médico ou terapeuta deverá ser consultado.
Validade

Escrever Comentário

Por favor faça seu Login ou Cadastre-se para faze um comentário.


Tags: ivandelio sanctus, iridologo, uberaba, terapeuta, digestivo, produtos naturais